Em janeiro de 2018, algumas coisas referentes ao Simples Nacional vão ter algumas mudanças. Mas você já está por dentro do assunto? Já procurou seu contador para conversar? As alíquotas, limites e anexo vão mudar e isso pode te beneficiar ou atrapalhar algum fator,  pois tudo que afeta o nosso negócio deve ser estudado para não termos surpresa.

Para a Receita Federal, tudo já está pronto para o início das operações, resta saber se você está preparando o seu negócio para as novas regras.

1  Novos limites do Simples Nacional

Uma EPP (Empresa de Pequeno Porte), atualmente pode faturar até 3,6 milhões por ano, em 2018 seu novo limite será 4,8 milhões por ano. Algo comum de acontecer, são as empresas estourarem o limite de faturamento, deixar de se enquadrar em um regime e ser alocado em outro, por exemplo:

Se uma empresa, ainda em 2017, faturar entre 3,6 milhões e 4,32 milhões, que corresponde até 20% do limite de faturamento, ela não tem obrigação de comunicar sua exclusão do Simples Nacional.

Já aquelas que ultrapassarem os 20%, ou seja, faturarem entre 4,32 milhões e 4,8 milhões, têm a obrigação de comunicar a sua exclusão do regime, podendo optar novamente somente em 2018.

Leia mais

• Até onde as desculpas estão atrapalhando seu negócio?

• Pratique elisão fiscal, pague menos impostos

2 Mudanças nos anexos do Simples Nacional

Quem é optante por esse regime, precisa saber em qual anexo se encaixa, para recolhimento correto do imposto, isso foi recalculado para 2018, clique no anexo que corresponde à sua atividade e veja:

  • Anexo I – Alíquotas e partilha do Simples Nacional – Comércio.
  • Anexo II – Alíquotas e partilha do Simples Nacional – Indústria.
  • Anexo III – Alíquotas e partilha do Simples Nacional – Receitas de locação de bens móveis e de prestação de serviços descritos no inciso iii do § 1º do art. 25-a, e serviços descritos no inciso V quando o fator “r” for igual ou superior a 28%.
  • Anexo IV – Alíquotas e partilha do Simples Nacional – Receitas decorrentes da prestação de serviços relacionados no inciso iv do § 1º do art. 25- a.
  • Anexo V – Alíquotas e partilha do Simples Nacional – Receitas de prestação de serviços descritos no inciso v do § 1º do art. 25-a, quando o fator “r” for inferior a 28%.

3 Como entender mais sobre isso?

A dica é simples e rápida: procure o seu contador, bem rápido!  Não temos obrigação de sermos especialistas nisso, por isso precisamos contratar pessoas inteligentes e capazes de fazer as coisas certas.

A nossa obrigação, é que temos que saber de maneira genérica como acontece e o que muda, para que possamos sempre ter argumentos e entender a estrutura.

Você tá pensando que é fácil empreender? Arregaça as mangas e vai dar uma estudada, conhecer um pouco sobre cada assunto, para melhorar cada vez mais a sua gestão.

E então, gostou dessas dicas de hoje? Clique aqui e me siga no Facebook, lá tem novidades e boas dicas todos os dias, sucesso!