Grande parte dos microempreendedores tocam seu negócio no simples nacional. Já imaginou que a folha de pagamento pode quebrar uma empresa? Tenho sempre batido na tecla que a informação é muito importante para a gestão da empresa, conhecer o seu negócio, saber os detalhes, analisar as consequências nos livra de grandes roubadas.

Sendo assim, saiba que precisamos calcular exatamente o custo de cada colaborador da nossa empresa, para evitarmos surpresas desagradáveis, que fogem do planejamento mensal e anual. Vejam essas dicas:

1 Encargos da folha

Toda ação deve ser planejada com detalhes que nos façam enxergar a manutenção do caixa da empresa e a nossa sustentabilidade no mercado.

O maior erro nesse cálculo é considerar somente o salário bruto no cálculo dos seus custos. Além disso há os custos dos encargos trabalhistas que são esquecidos e que são bancados pelos patrões.

2  O que devo considerar?

Todo o mês em que se paga o salário a alguém que está registrado como empregado temos que acompanhar toda a operação que envolve a folha de pagamento.

Devemos considerar mensalmente

• 13º salário;
• Férias;
• FGTS;
• Previsão de multa do FGTS;
• Contribuição previdenciária sobre o 13º/férias/DSR (Descanso semanal remunerado).

Vendo isso, para quem prefere o simples, imagina quanto isso vai impactar no orçamento para pessoal? A resposta é 40 % do salário do funcionário, ou seja, se ele ganha R$ 1600,00, ainda teremos que pagar mais R$ 640,00, totalizando R$ 2.240,00. E essa diferença é paga integral pela empresa.

Calculo que pesa no orçamento e desestrutura qualquer organização.

Leia mais

Como cortar custos na sua empresa

• 4 dicas de gestão para a empreendedora

3  Alternativas

Uma alternativa para se livrar de um custo muito elevado é contratar pessoas jurídicas para prestar serviço. É uma ação arriscada, já que a pessoa pode no futuro acionar a justiça com o pedido de vínculo empregatício, podendo te levar uma grana.

Outra possibilidade é terceirizar parte da sua operação, com isso pagará somente o valor do contrato para a empresa contratada e os demais custos são de responsabilidade dela, mas para isso é preciso comparar os custos e os riscos, nada sem planejamento.

Com essas dicas você pode, antes de contratar, fazer os cálculos, analisar os custos e ver se enquadram no seu orçamento. Analisar os riscos e possibilidades futuras, com cautela.

Essa carga tributária para optantes pelo simples nacional é mais tranquila que para as outras classificações que esse percentual sobre o salário pode chegar até 68% do valor do salário, já pensou?

Se estiver pensando em contratar, dê um pulinho no seu contador e peça esclarecimentos sobre o que paga de impostos sobre a folha, para depois fazer sua programação.

Lembre-se que estes valores influenciam diretamente no custo do produto ou serviço oferecido, por isso não podemos vacilar.