Empreender em cidade pequena é uma dificuldade sem tamanho. Mas além de tudo, administrar o fiado é pior ainda. Ô troço complicado, viu?  E no post de hoje vou abrir os seus olhos pra isso que pode ser a ruína do seu negócio. Confira:

1  Dificuldades

Em pequenas cidades e bairros mais afastados é  possível que as pessoas não utilizem cartão e tenham a prática de compra fiado, anotar e pagar depois.  Qualquer pessoa pode ter uma dificuldade financeira momentânea e apesar da confiança que temos nela, suas prioridades serão outras. Quebrar esse laço para alguns é muito fácil e isso complica nosso fluxo de caixa, pagamento de fornecedores e outras coisas.

Essa dificuldade é comum e nos traz problemas com clientes antigos, mas temos que superar isso e acompanhar a mudança, o progresso digital e educar nossos clientes de como está o mercado atualmente.

Leia mais

Máquina de cartão: qual a melhor?
É o mercado que esta em crise ou é a sua empresa que não se transforma?

2 Meios de pagamento

Hoje em dia temos vários meios de pagamento e precisamos usá-los no nosso negócio. Substituir a notinha é eliminar o risco de receber.  Temos várias opções como: cartão de débito, crédito, boletos, transferência bancária e o cada vez menos usado cheque, que também não nos dá garantia nenhuma.

Se você ainda não dispõe de nenhum desses meios, está na hora de começar a correr atrás e se atualizar também, enquanto isso use a nota promissória, com os dados pessoais, nome completo, endereço, telefone, tenha um cadastro completo do seu cliente.

A promissória, com os dados completos, ainda traz a garantia de podermos acionar a justiça para receber ou fazer um acordo.

3  Use a tecnologia

Você pode comprar uma Moderninha, usar a máquina da Sipag que tem ótimas taxas, procurar o seu banco ou cooperativas para emissão de boletos.

Para isso ideal é ter cnpj, profissionalizar a sua gestão e mostrar para os clientes que o negócio é organizado. Toda pessoa que vende muito fiado, acaba sem grana e sem o cliente mais rápido que qualquer concorrente. Então, explicar para o seu cliente que não trabalha com fiado, desde que seja cordial, não vai te atrapalhar.

Mostrar para ele que existem outras formas de comprar e seu negócio não suporta vendas a prazo, pode criar um vínculo de confiança. Para aqueles clientes mais antigos, que já possuem sua confiança, procure-os e estabeleça um prazo para sua adequação. Uma boa parte do que perdemos vem justamente de quem menos esperamos, perdemos o cliente e o amigo.

Faça o mais rápido possível um levantamento do quem tem de fiado no seu negócio, quanto já perdeu e anote tudo isso, veja quanto isso poderia ter sido seu lucro e quanto poderia estar em suas mãos em forma de mercadoria.